Impacto da obesidade para o desenvolvimento de Câncer de Pâncreas

Um estudo realizado por pesquisadores do Yale Cancer Center (YCC), dos Estados Unidos, e publicado na revista Cell, demonstrou que os hormônios liberados pelo próprio pâncreas podem promover o câncer desse órgão. Mas que a perda de peso pode interromper esse processo ainda nos estágios iniciais.

O crescimento da taxa de obesidade em todo o mundo tem feito aumentar também a taxa de mortalidade por câncer de pâncreas. E essas descobertas acendem uma esperança na busca por novas formas de impedir o crescimento e a propagação do câncer pancreático.

Entenda o estudo:

Há no corpo humano um tipo de célula presente no pâncreas conhecida como célula beta, que normalmente produz insulina. O estudo, que foi realizado em camundongos, analisou que algumas células beta produzem um hormônio chamado colecistoquinina (Cck), normalmente gerado no intestino para ajudar na digestão. Essas células beta também pareciam secretar menos insulina.

Acontece que o hormônio Cck atua nas células secretoras de enzimas digestivas, onde surge o tipo predominante de câncer de pâncreas. Então, na pesquisa, descobriram que a taxa de Cck nas ilhotas pancreáticas caiu quando os ratos obesos perderam peso.

Agora, o laboratório de Muzumdar está estudando o motivo das células beta mudarem de insulina para Cck, e como o Cck pode aumentar a formação e a progressão do tumor.

AGENDE SUA CONSULTA: (21) 99998-0304
Todos os direitos reservados.